top of page

Agricultura Urbana e Periurbana

O que é e porque é tão importante


A agricultura urbana e periurbana (AUP) pode ser definida, de forma simples, como o cultivo de plantas e a criação de animais dentro e ao redor das cidades (FAO, 2017). Outra ótima definição de um dos principais autores sobre o tema é:

A agricultura urbana é a praticada dentro (intra-urbana) ou na periferia (periurbana) dos centros urbanos (sejam eles pequenas localidades, cidades ou até megalópoles), onde cultiva, produz, cria, processa e distribui uma variedade de produtos alimentícios e não alimentícios, (re)utiliza largamente os recursos humanos e materiais e os produtos e serviços encontrados dentro e em torno da área urbana, e, por sua vez, oferece recursos humanos e materiais, produtos e serviços para essa mesma área urbana. Mougeot (2000, p.13).


Assim, a agricultura urbana geralmente usa métodos de produção intensiva, por não dispor de tanto espaço quanto a agricultura no meio rural. Além disso, uma de suas marcantes características é o reaproveitamento de materiais.


Na última década o tema vem ganhando cada vez mais espaço, pela preocupação com a segurança alimentar e saúde das pessoas vivendo em metrópolis. Nas cidades brasileiras, com o rápido processo de urbanização ocorrido ao longo do século XX, as periferias foram se adensando, perdendo sua tradicional função de cinturão verde, enquanto nos centros urbanos a demanda por alimentos aumentou. Na Região Metropolitana de São Paulo, entre 1985 e 2019, foram incorporados 57 mil hectares à área urbanizada (INSTITUTO ESCOLHAS, 2020).


A prática também está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030. O objetivo 11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis - possui metas relacionadas a espaços públicos seguros, inclusivos, acessíveis e verdes e a relações econômicas, sociais e ambientais positivas entre áreas urbanas, periurbanas e rurais. O objetivo 12 - Consumo e Produção Responsáveis - apresenta, por sua vez, metas relacionadas à informação e à conscientização para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia com a natureza, à redução do desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e às perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita (ONU BRASIL, 2019).


Muito se fala sobre a multifuncionalidade da agricultura urbana. Isso significa que além de fornecer alimentos, ela apresenta outras funções sociais, econômicas e ambientais. Muito do interesse em fortalecer a prática se dá pela constatação de sua importância na redução de vulnerabilidades, no fechamento dos ciclos ecológicos nas cidades, fortalecimento da economia e aumento da coesão social. A seguir, listamos alguns benefícios reconhecidos por praticantes e pesquisadores.


Ambientais

Aumento de área verde

Redução do impacto do consumo

Gestão de Resíduos

Saúde

Bem-estar mental

Atividade física

Consumo de alimentos seguros, orgânicos e saudáveis

Saúde Pública

Aumentar o acesso ao alimento nutritivo

Aumentar o consumo de frutas, hortaliças e vegetais

Lazer

Atividade de recreação e relaxamento

Sociais e educacionais

Desenvolver habilidades pessoais e profissionais

Educação ambiental

Econômicos

Subsistência

Economia com compra de alimento

Venda para renda

Comunitários

Organização, empoderamento e desenvolvimento comunitário

Interação social

Segurança pública

Embelezamento local


Em pesquisa realizada entre 2018 e 2021 na cidade de São Paulo, foram citados os seguintes objetivos que incentivam o envolvimento em hortas e revelam o significados da Agricultura Urbana para os participantes.




Referências

CALDAS, Luíza Costa. O papel do capital social e das redes sociais na agricultura urbana em São Paulo. 2021. Dissertação (Mestrado em Sustentabilidade) - Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2021.


FAO. Urban Agriculture. 2017. Online. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2017.


INSTITUTO ESCOLHAS. Mais perto do que se imagina: os desafios da produção de alimentos na metrópole de São Paulo. São Paulo, 2020.


MOUGEOT, L. Agricultura Urbana: Conceito e Definição. Revista de Agricultura Urbana, n. 1., p. 8-14, 2000.


ONU BRASIL. Agenda 2030. 2019. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/. Acesso em: 29 jun. 2019.


38 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page